quinta-feira, 21 de agosto de 2014

Curso de Especialização Tecnológica (CET) - Técnico/a Especialista em Tecnologias e Pogramação de Sistemas de Informação

 
 

Está previsto iniciar em outubro, no Centro de Emprego e Formação Profissional de Faro, o Curso de Especialização Tecnológica - Técnico/a Especialista em Tecnologias e Programação de Sistemas de Informação.

Este curso, desenvolvido ao abrigo de um protocolo de cooperação com a UALG, destina-se a jovens com o 12º ano de escolaridade, preferencialmente com formação na área das TIC.

O Curso terá a duração aproximada de 1800H, das quais 400H serão de estágio em empresas do sector.
 
Informações e Inscriçoes no Centro de Emprego da sua área de residência ou contactar o GIP AHETA.

 
 

terça-feira, 5 de agosto de 2014

Medida Emprego Jovem Ativo

 
 
A medida Emprego Jovem Ativo, criada pela Portaria n.º 150/2014, de 30 de julho, visa contrariar fenómenos de exclusão associados, nomeadamente, a um abandono precoce do sistema educativo e a défices acentuados de qualificação, promovendo a inserção social de jovens menos escolarizados, através de experiências práticas de aprendizagem em contexto de trabalho, com um caráter transversal, no plano comportamental e da aquisição de algumas competências profissionais. Esta aposta na inclusão facilitará, a par de um desenvolvimento posterior de projetos de reforço de qualificações, as competências e perspetivas de integração no mercado de trabalho.
Paralelamente, este projeto envolve a participação de jovens desempregados com níveis mais elevados de qualificação, considerando-se que o seu envolvimento em projetos de inserção promove, igualmente, um aumento de competências pessoais e profissionais e as perspetivas de empregabilidade.
As atividades a desenvolver podem ser dinamizadas por entidades públicas ou privadas com ou sem fins lucrativos, no contexto de um projeto, com a duração de 6 meses, o qual integra um plano de inserção para cada uma das tipologias de jovens com idade entre os 18 e os 29 anos, inclusive, inscritos como desempregados no IEFP, e que se encontrem numa das seguintes situações:
  • Não possuam a escolaridade obrigatória e se encontrem em particular situação de desfavorecimento face ao mercado de trabalho, nomeadamente porque abandonaram a escola ou não concluíram o 3º ciclo do ensino básico;
  • Detentores de qualificação de nível 6 ou superior, do Quadro Nacional de Qualificações (QNQ).
Cada projeto deve abranger, simultaneamente, entre 2 e 3 jovens com maior défice de qualificação e 1 jovem detentor de nível de qualificação mais elevado, em equipas que serão acompanhadas por um orientador designado pela entidade, responsável pelo acompanhamento dos diversos jovens abrangidos e pelo desenvolvimento dos respetivos planos de inserção.
Os destinatários têm direito a:
  • Uma bolsa mensal, integralmente suportada pelo IEFP, e que corresponde a 0,7 IAS no caso dos jovens com maior défice de qualificações e a 1,3 IAS, no caso dos jovens mais qualificados.
  • Refeição ou subsídio de alimentação, e seguro de acidentes pessoais, que serão igualmente comparticipados pelo IEFP.
A Portaria n.º 150/2014, de 30 de julho, entra em vigor 30 dias após a sua publicação, estando neste momento a ser objeto de regulamentação. A abertura de candidaturas será oportunamente publicitada neste Portal.

Para mais informações consulta a ficha sintese: https://www.iefp.pt/documents/10181/1379158/Ficha+Sintese+-+Emprego+Jovem+Ativo++-+2014-07-31%28vf%29.pdf/e809531a-0081-46fe-a4c7-29df07b0d598

Programa Investe Jovem





O Programa destina-se a promover a criação de empresas por jovens desempregados, através das seguintes modalidades de apoio:
  • Apoio financeiro ao investimento
  • Apoio financeiro à criação do próprio emprego dos promotores
  • Apoio técnico na área do empreendedorismo para reforço de competências e para a estruturação e consolidação do projeto
São destinatários do Programa os jovens com idade igual ou superior a 18 anos e inferior a 30 anos, inscritos como desempregados no IEFP, e que possuam uma ideia de negócio viável e formação adequada para o desenvolvimento do negócio.
No âmbito deste Programa são concedidos apoios financeiros:
Ao Investimento:
  • Apoio financeiro até 75% do investimento total elegível
  • Este apoio só pode financiar o fundo de maneio indexado ao projeto até 50% do investimento elegível, no limite de 5 x IAS
  • Os promotores devem assegurar, pelo menos, 10% do investimento total elegível, em capitais próprios.
À criação do próprio emprego dos promotores:
  • Apoio financeiro sob a forma de subsídio não reembolsável, até ao montante de 6 x IAS por destinatário promotor que crie o seu posto de trabalho a tempo inteiro, até ao limite de quatro postos de trabalho objeto de apoio.
Os promotores podem, ainda, beneficiar de apoio técnico para o desenvolvimento de competências na área do empreendedorismo e na estruturação do projeto (apoio assegurado por iniciativa e responsabilidade do IEFP) e/ou destinados à consolidação de projetos – apoio assegurado pela Rede de Entidades Prestadoras de Apoio Técnico (EPAT), credenciadas pelo IEFP.
A Portaria n.º 151/2014, de 30 de julho, entra em vigor 60 dias após a data da sua publicação, estando neste momento a ser objeto de regulamentação. A abertura de candidaturas será oportunamente publicitada neste Portal.

Medida Estágios Emprego - Novo período de candidaturas


Por deliberação do Conselho Diretivo do IEFP tem início a 31 de julho um novo período de candidaturas à medida Estágios Emprego, de acordo com o enquadramento legal definido na Portaria n.º 149-B/2014.

A Medida Estágios-Emprego, integrada na Garantia Jovem, tem sido de relevante importância para a integração dos jovens na vida activa, evidenciando elevados níveis de empregabilidade.
São Estágios com a duração de 9 meses, tendo em vista promover a inserção de jovens no mercado de trabalho ou a reconversão profissional de desempregados.

Desempregados inscritos nos serviços de emprego e que se encontrem numa das seguintes situações:
  • jovens com idade entre os 18 e os 30 anos, inclusive, com uma qualificação de nível 2, 3, 4, 5, 6, 7 ou 8 do Quadro Nacional de Qualificações (QNQ)
  • com idade superior a 30 anos, desde que tenham obtido há menos de três anos uma qualificação de nível 2 ou superior, estejam à procura de novo emprego e não tenham desenvolvido atividade profissional nos 12 meses anteriores à data da seleção pelo IEFP
  • pessoas com deficiência e incapacidade
  • integrem família monoparental
  • pessoas cujos cônjuges ou pessoas com quem vivam em união de facto se encontrem igualmente inscritos no IEFP como desempregados
  • vítimas de violência doméstica
  • ex-reclusos e aqueles que cumpram ou tenham cumprido penas ou medidas judiciais não privativas de liberdade e estejam em condições de se inserirem na vida ativa
Notas:
(i) Até 31 de dezembro de 2014 e no caso de estágios que se enquadrem nas áreas no âmbito da Agricultura, são, ainda, destinatários da medida os jovens entre os 31 e os 35 anos, inclusive, inscritos como desempregados nos serviços de emprego e detentores de uma qualificação de nível 2 ou superior.
(ii) São equiparadas a desempregados, as pessoas inscritas no IEFP como trabalhadores com contrato de trabalho suspenso com fundamento no não pagamento pontual da retribuição.
(iii) Os destinatários que tenham frequentado um estágio profissional financiado, total ou parcialmente, pelo Estado português, só podem frequentar um novo estágio ao abrigo desta medida caso tenham, após o início do anterior estágio, obtido um novo nível de qualificação nos termos do QNQ ou uma qualificação em área de formação diferente e o novo estágio seja nessa área.
Consulta a ficha sintese com mais informação sobre os Estágios: https://www.iefp.pt/documents/10181/190727/Ficha+Sintese+-+Estagios+Emprego++-+2014-07-30+%284vfportal%29.pdf/191788a0-c275-4592-a07e-501a5c9df765